Alexandre Pais

TagPepe

Pepe? Nem aos 18… nem aos 80!

P

A propósito da expulsão de Gonçalo Inácio, aos 18 minutos da partida que o Sporting disputou em Braga, escrevi na minha crónica no Record, a 26 de abril (e que se pode ler na íntegra numa publicação anterior neste blog), que não estava a ver o Artur Soares Dias, que mostrara o cartão vermelho ao central leonino, a expulsar o Pepe, aos 18 minutos… Hoje, apenas dez dias depois, aqui estou, de...

Garay no Benfica? Sim, mas o futebol é um negócio

G

Um caso gravíssimo – os 33 anos de Ezequiel Garay e os 37 de Pepe! – fez com que Manuel Serrão e Pedro Guerra se zangassem, no “Prolongamento” da TVI24, e dessem um bom incentivo aos delinquentes que apedrejam autocarros. Serrão abusou da incontinência verbal e Guerra comparou o incomparável: o central portista apresenta-se ainda, apesar da idade, numa condição física que lhe permite competir ao...

Em defesa de Pepe, a cereja no bolo

E

A nota 2 que o Record deu a Pepe pelos 69 minutos em que jogou no clássico – só o suplente Vítor Ferreira mereceu avaliação tão baixa nos portistas – encontram quase total justificação no seu desempenho em campo: duas oportunidades perdidas de marcar, uma entrada dura sobre Taarabt e culpas nos dois golos do Benfica. Acontece que o peso do capitão na vitória do FC Porto terá de ser medido à luz...

Benfica, FC Porto e Sporting não se podem queixar

B

Se Deus gostasse de futebol e se metesse nessa alhada teria sido perfeito na repartição dos quatro títulos da época futebolística: Supertaça para o FC Porto, campeonato para o Benfica e taças da Liga e de Portugal para o Sporting. E escrevo perfeito porque houve justiça nas decisões por muito que as paixões doentias tudo ponham em causa ao arrepio da razão. Pior para os que as sustentam, que...

Extraordinário foi o preço de Ricardo Carvalho em 2004: 37 M€

E

Num tempo em que os valores das transferências ultrapassaram já os 100 milhões de euros, e até os 200 milhões, o valor a pagar pelo Real Madrid por Éder Militão, 50 milhões de euros, parece perfeitamente normal. O que não foi normal para a época foi o preço que o mesmo Real Madrid pagou por Pepe, 30 milhões de euros em 2007, o que corresponderia hoje a 34 milhões. Ou o que o Chelsea gastou, três...

Rui Vitória deve sentir-se destroçado

R

Sexto triunfo em seis jogos do Manchester United na era pós-Mourinho. Ontem, o Tottenham caiu, em Wembley (0-1), com o golo a nascer de um passe longo mas preciso de Pogba para isolar Rashford, que meteu a mota e rematou para bater Lloris. A campanha 100 por cento vitoriosa de Solskjær – que constituiria uma espécie de “segunda morte” de Mourinho, não fosse ele quem é – diz bem do poder de que...

Os adeptos só gostam de vencedores

O

Os chacais foram apertando o cerco e multiplicando as críticas a Rui Vitória, que carregava as culpas do que o Benfica fazia ou deixava de fazer: era tão bestial na goleada ao Sp. Braga como besta na derrota em Portimão. É a sina de quem não vence sempre – e ninguém vence sempre – e bem pensava Sérgio Conceição, quando ao seu jeito, sem rodriguinhos, dizia há dias qualquer coisa como isto:...

De Pepe a Ronnie O’Sullivan

D

Duas horas, um minuto e 39 segundos é o novo melhor tempo da maratona, conseguido ontem, em Berlim, pelo queniano Eliud Kipchoge, que retirou ao anterior máximo um minuto e 18 segundos. Eis uma bela oportunidade para recuar 33 anos e lembrar Carlos Lopes, então campeão e recordista olímpico – e campeão do Mundo de corta-mato – que em Roterdão, a 20 de abril de 1985, bateu também o recorde mundial...

De Pepe a Ronnie O'Sullivan

D

Duas horas, um minuto e 39 segundos é o novo melhor tempo da maratona, conseguido ontem, em Berlim, pelo queniano Eliud Kipchoge, que retirou ao anterior máximo um minuto e 18 segundos. Eis uma bela oportunidade para recuar 33 anos e lembrar Carlos Lopes, então campeão e recordista olímpico – e campeão do Mundo de corta-mato – que em Roterdão, a 20 de abril de 1985, bateu também o recorde mundial...

Um sábio chamado Iker Casillas

U

Nunca percebi o que leva futebolistas profundamente identificados com um clube a procurarem outro – por norma em fase adiantada do seu percurso profissional e a troco de um punhado extra de dólares. Não me refiro a casos que têm mais a ver com uma bem sucedida gestão de carreira do que com fatores emocionais, como o de Figo, que conseguiu sair do Sporting para estar cinco anos no Barcelona...

Alexandre Pais

Arquivo

Twitter

Etiquetas