Alexandre Pais

TagBenfica

O Benfica tem marcas que perdurarão

O

Com Jorge Jesus em êxtase no sofá da sua casinha, terminou com um coro de insultos e assobios uma nova exibição dececionante do Benfica, cada vez mais firme no terceiro lugar da liga – e tranquilo porque o Sp. Braga também só faz asneiras. Esta coisa de se chamarem os números dois ou três das estruturas técnicas a substituírem as primeiras figuras – fenómeno que começou de maneira mais nítida...

Soldados do ódio e da estupidez

S

Eleito presidente há pouco tempo, Rui Costa pode e deve ser criticado pelo que faz e confrontado com o que cada um ache serem os seus erros. Mas tem também de se desviar permanentemente do fogo ‘amigo’ daqueles benfiquistas que gostavam de estar no seu lugar e não estão, aliás, por três motivos bem simples: a sua própria cobardia, a vontade dos associados do clube e a graça de Deus. Essa trupe...

Já não há paciência para o Flamengo!

J

Gosto do ‘Mengão’, e mais do ‘Flu’ para ser franco, mas já não há paciência para o folhetim Jorge Jesus ‘versus’ Flamengo. Trata-se de um ‘romance’ que faz as delícias da especulação jornalística – e que os brasileiros alimentam, essa é que é a verdade – e satisfaz os interesses daquela comunicação social que não pode dedicar-se às camisas do Rendeiro, à casa da sogra do Pinho ou às múltiplas e...

Lição de Rúben Amorim está no discurso

L

Jorge Jesus passa de novo por um período difícil no Benfica, desta vez com um problema acrescido: não tem Luís Filipe Vieira para lhe meter a mão por baixo. Trata-se, parece-me, de uma tempestade num copo de água, a não ser que a esperada qualificação para a fase seguinte da Champions não venha a acontecer depois de amanhã, tornando, então sim, irreversível o divórcio entre os adeptos e o...

Que fará Rui Costa com a sua vitória?

Q

Desta vez sim, a presença da família mais do que se justificava: foi estrondosa a vitória de Rui Costa nas eleições do Benfica. Nada que não se estivesse à espera, mas depois de termos visto o que aconteceu em Lisboa com Fernando Medina, colocar pelo menos a hipótese que o vencedor antecipado pudesse não o ser tornou-se quase obrigação. Claro que no lugar de Carlos Moedas compareceu, no duelo da...

Destino traçado no debate na BTV

D

Houve empate técnico, ontem, na BTV! Calma, refiro-me apenas à falta de preparação dos candidatos quanto ao modo de enfrentar um debate na TV: não procuraram convencer os sócios – olhando para a câmara, como mandam os livros – e contentaram-se em tentar obter o beneplácito de Luís Costa Branco, que só pode estar mais do que decidido quanto ao sentido do seu voto. Ele e eu, se fosse amanhã às...

O Benfica tem um segundo mestre da tática

O

Quando Rui Costa assegurou a presidência do Benfica foi acusado de oportunismo: os opositores de Luís Filipe Vieira exigiam eleições logo na semana seguinte ou quase. A situação parecia caótica, o que daria vantagem a um qualquer cavaleiro de ‘mãos limpas’ que receberia assim, de mão beijada, um negócio para se entreter. Ficaram a falar sozinhos, como mandam os livros. A seguir, apostaram – não...

A burrice histórica de Bartomeu ao despedir Luis Suárez

A

Quando morremos, nada depende de nós, tudo acabou. Situação totalmente diferente é quando alguém entende que estamos mortos ou tem uma enorme vontade que isso aconteça. Aí, alto, isso já depende de nós. E compete-nos não permitir que o corpo arrefeça. Como madridista, nunca fui grande fã de Luis Suárez, não tanto pelos amargos de boca que me deu e mais pelo estilo quezilento com que os árbitros...

A missão quase impossível de Jorge Jesus

A

Desde os anos 50 que o Benfica não tinha, no campeonato, tanta desvantagem em relação ao Sporting. E há duas décadas que não terminava a primeira volta fora dos três lugares cimeiros. Ou seja, o Livro dos Recordes de Jorge Jesus passou a registar máximos negativos. Como gosto do treinador, sofro com ele por isso. Como acho que a bazófia foi demasiada – arrasar, jogar o triplo e etc e tal – tenho...

O adeus de Ferreyra e o caso de Messi

O

O Benfica cometeu o erro de contratar Facundo Ferreyra. Foi mais um, acontece a todos, é o preço do risco que corre quem gere um negócio. Mas feito o mal, há que procurar a melhor forma de o minimizar, reduzindo o prejuízo. Isso sucedeu agora: o argentino fez-se à vida e rescindiu o compromisso, poupando assim a SAD cerca de 5,5 milhões de euros. Faltou essa boa prática a Bartomeu e à sua gente...

Alexandre Pais

Arquivo

Twitter

Etiquetas