Alexandre Pais

TagSIC

TVI: 11 milhões de euros de prejuízo

T

O valor, arredondado e referente a 2020, é idêntico para as duas estações: 11 milhões de euros. Mas enquanto a SIC apresenta esse número como lucro, a TVI vê-o na coluna dos prejuízos – pequena diferença. É o que na verdade está em causa quando falamos de audiências, de projetos pensados e vitoriosos ou de aventuras com derrotas anunciadas: o dinheiro. Porque as marcas associam-se a quem ganha e...

Goucha, ficção e realidade

G

Avisei: o casal mais velho, composto por Ide e Jorge, bastaria para dar a vitória nas audiências a ‘O amor acontece’. Ao deitá-lo borda fora sem o substituir por um par igualmente cromático, a TVI afundou o ‘date show’. No serão de domingo, já perdeu para o ‘Agricultor’ da SIC, e nos diários é seu o terceiro lugar. Mais um ‘flop’. Quem aproveitou a oferta foi ‘Goucha’, que venceu ‘Júlia’ com a...

Mãozinhas marotas antes que o amor aconteça

M

Com a estreia de ‘O amor acontece’, no serão de domingo, a TVI conseguiu bater ‘Quem quer namorar com o agricultor?’, que a SIC arrasta de maneira a que dure e dure, ainda que pouco aconteça para lá do tédio. É o canal de Queluz a fazer pela vida, tentando recuperar a credibilidade perdida e compensar fracassos igualmente prolongados na esperança de que o telespectador seja burro. Talvez amanhã...

Coitada da Ana!

C

Se olharmos para a realização, esta é talvez a melhor das quatro séries de “Quem quer namorar com o agricultor?”. Já quanto à substância, estamos perante mais uma lástima, que a empatia de Andreia Rodrigues não basta para atenuar. A SIC precisa do programa, que bate nas audiências as debilidades da concorrência, pelo que a ordem é fazer e a produção que se amanhe. E há que tirar o chapéu a quem...

Um agricultor sem calos nas mãos

U

Amanhã estreia-se a quarta série de “Quem quer namorar com o agricultor?”, que permitirá à SIC confirmar, através dos diários do programa, que tudo pode liderar o acesso ao horário nobre menos essa mão cheia de coisa nenhuma da TVI que é o “Cristina ComVida”. Desde que vi uma temporada da versão australiana que fiquei fã do “Agricultor”, embora me tenha desiludido depois com a modéstia da versão...

Cristina Ferreira atrás das câmaras para quê?

C

O entretenimento da TVI continua a viver de fogachos: mal se afunda um programa, logo se lança outro com o espalhafato necessário para disfarçar o fracasso anterior. E conforme o tempo passa, “Cristina ComVida” bate mínimos de audiência, perde por centenas de milhares de espectadores para as novelas da SIC e para “O preço certo” da RTP, e regista “shares” de vários pontos abaixo daqueles que a...

A SIC adormece

A

Em televisão é tão perigoso decidir por impulso ou ao sabor dos amiguismos como fazer bem e depois adormecer à sombra da bananeira. Não será o que se passa com a SIC, mas parece. A TVI lançou no início da semana o “Esta manhã”, um conceito que mistura informação com entretenimento, interpretado por figuras de segunda da estação e que nada tem de novidade, nem sequer é bem feito – aquele foguetão...

Os cabotinos são agentes do inimigo

O

Em Hollywood, não faltam estrelas desempregadas. E não, não se trata de mais um drama nascido da pandemia, mas de um velho problema. A indústria do cinema leva muito a sério a lógica do negócio e apesar de alguma cedência ao peso dos nomes no cartaz e aos caprichos de quem paga o filme, o “casting”, que escolhe os atores com o perfil certo para os papéis, é para ser respeitado. Por cá, os...

Mendes, Goucha e Fátima: peixes de águas profundas

M

Como espectador, tanto me diverte assistir a um bom programa como ver a deceção de alguns espevitados quando peixes de águas profundas, dados como extintos, voltam a dar sinais de vida. Aconteceu isso com “O preço certo”, da RTP1, primeiro após o fogo fátuo de Cristina com “Apanha se puderes”, da TVI, e depois com a crise pandémica que suspendeu os “diretos”. Fernando Mendes, que já recuperara...

E a TVI pariu um rato com o “Dia de Cristina”

E

A TVI anunciou o “Dia de Cristina” com tal estardalhaço que se criou uma onda de expetativa: que momentos inovadores em televisão iríamos ter? Decorrido o evento, logo se concluiu que a montanha pariu um rato. Durante longas horas, a apresentadora exibiu-se em conversas banais com amigos convenientes – e inconvenientes… – sempre com o espalhafato que é marca da casa. Inovação só nos cenários...

Alexandre Pais

Arquivo

Twitter

Etiquetas