Alexandre Pais

TagCorreio da Manhã

António Sala: o "grand seigneur" da comunicação

A

Já aqui me referi ao “júri” de “A tua cara não me é estranha”, que não julgava coisa nenhuma, uma vez que o seu principal papel era o de dar espetáculo, ou seja, contribuir também para um programa de puro divertimento. Mas a última “gala” proporcionou-nos ainda um grande momento de António Sala, que usou o dom da palavra para relevar os méritos do “concurso” da TVI e a sua enorme vantagem sobre o...

António Sala: o “grand seigneur” da comunicação

A

Já aqui me referi ao “júri” de “A tua cara não me é estranha”, que não julgava coisa nenhuma, uma vez que o seu principal papel era o de dar espetáculo, ou seja, contribuir também para um programa de puro divertimento. Mas a última “gala” proporcionou-nos ainda um grande momento de António Sala, que usou o dom da palavra para relevar os méritos do “concurso” da TVI e a sua enorme vantagem sobre o...

Os “apanhados” da CM TV

O

Nuno Graciano herdou o “know how” dos “apanhados” televisivos, ou seja, “bebeu” o néctar da melhor colheita do grande pioneiro do conceito entre nós: Manolo Bello. Além do que vier a conseguir nas manhãs com Maya e noutros projetos da CM TV, Graciano já deixou a sua marca no novo canal da Cofina, o 8 do Meo. A ideia do “general angolano” é brilhante – passem as ridículas reservas de suposto...

Os "apanhados" da CM TV

O

Nuno Graciano herdou o “know how” dos “apanhados” televisivos, ou seja, “bebeu” o néctar da melhor colheita do grande pioneiro do conceito entre nós: Manolo Bello. Além do que vier a conseguir nas manhãs com Maya e noutros projetos da CM TV, Graciano já deixou a sua marca no novo canal da Cofina, o 8 do Meo. A ideia do “general angolano” é brilhante – passem as ridículas reservas de suposto...

O bulldog nunca larga a perna

O

Tenho o mesmo problema que os analistas políticos, preciso de assunto. E esta semana Miguel Relvas resolveu-nos o drama – uma vez mais. Foi essa, aliás, a perdição do ex-ministro: a sua inata capacidade para a provocação. Porque a comunicação social portuguesa, pelo meio de grandezas e misérias, tem a qualidade do bulldog, ou seja, depois de abocanhar a presa já não a larga. Como se o que...

Com Sócrates, Relvas ataca a alternativa

C

As brigadas de suposta proteção da pureza jornalística – uma fauna que trabalha pouco, mete o bedelho em tudo e odeia em particular que os órgãos de informação obtenham receitas e equilibrem as contas – atacaram desta vez a “liberdade” com que o diretor de informação da RTP convidou José Sócrates para analista político, a troco apenas, ao que parece, do tempo de antena. Melhor fora que, ao invés...

Amanhã é o dia: arranca a CM TV

A

Portugal vive em estado de profunda desorientação, as pessoas andam desiludidas e não se vê uma luz ao fundo do túnel. Caímos num buraco sem percebermos como escapar e, pior ainda, sem a certeza de algum dia encontrar a saída. É neste clima de desesperança, com empresas a fechar e mais 500 desempregados a cada dia, que a Cofina lança a CM TV, a televisão do “Correio da Manhã”, um projeto que...

Ponte está feito ao bife

P

Nunca entendi os motivos que levam a RTP a não se assumir como estação de referência, de real serviço público, procurando antes acompanhar as grelhas da SIC e da TVI, com a programação da moda. E fazendo-o, para mais, com a pretensão da diferença para melhor, ou seja, parece julgar-se capaz de cobrir de ouro a coisa banal. É ao contrário: a efetiva vocação popular dos canais de Queluz e de...

Antena paranóica: talvez palhaço

A

Não gosto de galas, seja lá isso o que for, tão gasto está o conceito por coisas rascas sem fim. É-me pouco menos que insuportável ver sorrisos de plástico a tentar exibir uma felicidade inexistente ou roupas emprestadas que disfarçam, tantas vezes, vidas pobres e desgraçadas. Nada é mais deprimente que a visão de gente pequenina disfarçada de poderosa. Acompanhei, assim, de longe, a comemoração...

Alexandre Pais

Arquivo

Twitter

Etiquetas