Alexandre Pais

TagArtur Agostinho

RTP: seis décadas de aventura e pioneirismo

R

Com uma produção modesta e a participação especial de um presidente com escassa capacidade de comunicação – ai aquelas mãos esvoaçantes! – a RTP assinalou os seus 60 anos transmitindo um clássico: o Festival da Canção. Estando já tudo dito sobre a efeméride, dedico estas linhas aos cabouqueiros da estação, hoje quase só recordados, ao acaso, na RTP Memória ou, a sério, no Inesquecível do enorme e...

O dia em que José Augusto foi presente de aniversário

O

“Um homem de força e inteligência extraordinárias pode não ser mais do que um zero se não souber falar” – William Channing, pregador norte-americano, 1780-1842 Aproveito esta edição do 12.º aniversário da SÁBADO – e também meu a escrever aqui, ai, ai… – para recordar os 60 anos do Record, cumpridos em 2009, e o almoço então promovido pela Cofina. Dois mitos, Artur Agostinho, ex-director do...

Artur Agostinho voltou a casa há 10 anos

A

Foi um evento que se tornou referência na minha vida e que aconteceu há precisamente uma década, quando eu e o António Magalhães, actual director do Record, convidámos para almoçar – no Gambrinus, em Lisboa – uma lenda da comunicação: Artur Agostinho. Ele participava numa série de TV, escrevera um livro e dava palestras nas escolas. Voltara aos seus grandes momentos mas faltava-lhe uma reparação...

Uma página com o Artur e muita história

U

Esta página da edição da revista “Flama” de 14 de junho de 1963 (capa mais abaixo) tem um grande significado para mim. Ora vejamos: 1. Assinala o primeiro dia de Artur Agostinho como diretor de Record, 1 de junho de 1963, o início de um trabalho de crescimento do jornal que me permitiria vir a ocupar o seu lugar… 40 anos depois. 2. Mostra o gigante desaparecido, na foto de cima...

Associação de Adeptos Sportinguistas: até sempre, Artur Agostinho

A

A família sportinguista acordou hoje mais pobre com a notícia da partida do maior porta-voz dos valores do Sporting Clube de Portugal, Artur Agostinho. A voz de Artur Agostinho encontra-se associada a muitos momentos de glória da história do Sporting Clube de Portugal, e ficará para sempre ligada à épica caminhada que culminou com a conquista da Taça dos Vencedores de Taças em 1964. Figura...

Quatro perguntas do CM sobre Artur Agostinho

Q

1 – Que recordação guarda de Artur Agostinho? – A melhor entre as melhores. Conheci-o nos anos 60, quando trabalhei na Emissora Nacional, e reencontrei-o em 2005, no almoço em que o convidei para voltar a escrever no Record. 2 – Que marca deixou no ‘Record’? – Uma marca inapagável, eterna. Pelo que realizou, pela injustiça da sua demissão, pela felicidade do seu retorno, pelo patrocínio do Prémio...

Adeus Artur, por Mendonça Ferreira

A

Querido Amigo, eras o diretor do Record quando lá cheguei, em 1964, e não sei se hoje ainda há no jornal alguém desse tempo. Foste sempre um grande amigo e um grande diretor. Lembro as reportagens que fizemos no estrangeiro, com o já falecido António Capela. Foram dias bons. Depois saíste do Record e foram os nossos almoços na Velha Guarda, no Machado e, curiosamente, como fazias anos em Dezembro...

Alexandre Pais

Arquivo

Twitter

Etiquetas